Contactos profissionais com a Bolívia

A Bolívia deve o seu nome ao seu libertador Simón Bolívar, que foi também o seu primeiro presidente da República.

A sociedade é multiétnica conjugando ameríndios, mestiços, pessoas de origem europeia, asiática e africana. Apesar da língua principal ser o espanhol, existem mais de trinta línguas indígenas, como o aimará e o quíchua. O espanhol é a língua em que se negoceia e é acertado ter documentação nesta língua. Na arte, na música e na literatura há, também, uma grande diversidade cuja origem se estima ser oriunda da riqueza cultural.

Ao tentar desenvolver contactos com vista a estabelecer negócios, convém ter presente que os cumprimentos usuais são os apertos de mão, apesar de, entre homens, ser frequente o abraço e entre mulheres, havendo um relacionamento próximo, um beijo no rosto. Tal como acontece noutros países da América do Sul, ao nível da pontualidade, espera-se que os estrangeiros compareçam à hora marcada aos compromissos agendados.

Ao nível da apresentação e da imagem profissional, o estilo predominante é o conservador; a palavra de ordem é moderação e não formalidade.

As refeições de negócios tendem a ocorrer em restaurantes, tal como acontece noutros países. Aconselha-se a não aquisição de alimentos na rua, por questões de segurança alimentar.

Numa negociação, as relações familiares, a religião e a lealdade são conceitos fundamentais nesta cultura e a ter presente ao tentar estabelecer uma transação. Adicionalmente, é necessário ter muita paciência para criar laços e desenvolver os relacionamentos profissionais.

Nos negócios valoriza-se muito mais quem se conhece do que propriamente aquilo que se conhece. A capacidade e o poder de argumentação, bem como a diversidade da linguagem escolhida são amplamente apreciados, sendo ainda importante manter contacto visual ao dialogar. Ao conversar, é comum que o espaço pessoal entre duas ou mais pessoas seja bastante reduzido, comparativamente a outras culturas. O tratamento, em particular para pessoas mais seniores, deve ser Señor para homens e Señora para mulheres; e ainda pelo título académico, quando aplicável.

A documentação que envolve o negócio, assim como os cartões-de-visita profissionais devem, preferencialmente, estar traduzidos para espanhol.

Por fim e tal como em tantas outras culturas, devem evitar abordar-se alguns temas, como o da política, assuntos relacionados com conflitos internacionais, temas raciais ou assuntos associados ao comércio de drogas. Evite fotografar uma pessoa sem ter pedido autorização, pois isso é considerado ofensivo ou uma espécie de serviço que pago.

Inspire-se nos ritmos Sul-Americanos e, se possível, tente também aproveitar a estadia do ponto de vista cultural.

Susana de Salazar Casanova

Leave a Reply

Your email address will not be published.